shutterstock_396395584-e1499968401623

A cada R$ 1 investido no funcionamento do TCU, R$ 9,49 retornam à sociedade

Os resultados obtidos a partir das deliberações proferidas pelo TCU no 1º trimestre de 2019 totalizaram R$ 4,738 bilhões. O valor é 9,49 vezes superior ao custo de funcionamento do Tribunal

Em relatório inédito divulgado pelo Tribunal de Contas da União (TCU), foi constatado que a atuação dos servidores da Casa garantiu retorno para a sociedade de um montante estimado em R$ 4,738 bilhões, apenas no primeiro trimestre de 2019. O valor corresponde a 9,49 vezes o custo para funcionamento da Casa. A atuação prévia do TCU ainda garantiu 33 medidas cautelares envolvendo recursos superiores a R$ 749,872 milhões.

Ainda de acordo com o levantamento, de janeiro a março foram apreciados conclusivamente mais de mil processos de controle externo; 93 fiscalizações finalizadas e mais de 18 mil atos de pessoal (atos de admissão de pessoal e de concessão de aposentadoria, reforma e pensão de servidores) analisados. O trabalho do primeiro trimestre também levou à condenação de mais de 50 pessoas físicas e 17 pessoas jurídicas por alguma irregularidade.

Para o vice-presidente do Sindilegis, Alison Souza, os dados só reforçam a importância dos servidores do Tribunal para a sociedade e para o crescimento econômico e sustentável do país. É preciso valorizar e aplaudir a atividade hercúlea que vem sendo desempenhada pela maior Corte de Contas do País.

“É muito gratificante poder representar uma categoria tão qualificada e comprometida com o desenvolvimento nacional, em garantir que os recursos públicos federais estão sendo aplicados de forma correta. Parabenizamos todos àqueles que contribuem para que retornem aos cofres públicos valores tão significativos e imprescindíveis para as políticas públicas necessárias a toda população”, enalteceu o presidente do Sindilegis, Petrus Elesbão.

O TCU é responsável pelo controle, prevenção do desperdício e melhorias na alocação dos recursos públicos. A Casa de Contas ainda atua na sugestão para aprimoramento de leis, redução dos danos ambientais e melhoria de políticas públicas.

 

Tags: No tags

Deixe seu comentário