O projeto vai oferecer cursos para servidores das Casas e para sociedade

Disseminar e ampliar o conhecimento, atingindo servidores, gestores e cidadãos é uma das metas desta gestão do Sindilegis. Para concretizar esse projeto, os diretores do Sindicato se reuniram, nesta segunda-feira (31), com uma equipe de consultores que apresentou o projeto de Universidade Aberta.

O objetivo da iniciativa é expandir a oferta de cursos voltados para o Legislativo tanto para servidores das Casas, como para a sociedade. Além disso, os próprios servidores serão colaboradores nesse processo de disseminação do conhecimento, como explica a diretora de Educação Continuada, Cultura, Igualdade de Gênero e Meio Ambiente, Giovana Perlin.

"A Universidade Aberta √© um desenvolvimento do conhecimento interno para o externo tamb√©m. √Č o grande compartilhamento de informa√ß√Ķes da institui√ß√£o para a comunidade, revertendo em benef√≠cios para ambos", explicou.

O projeto tamb√©m ir√° atender a grande demanda que a C√Ęmara dos Deputados, Senado Federal e Tribunal de Contas da Uni√£o t√™m de servidores que necessitam de especializa√ß√£o. Segundo Giovana Perlin, a Universidade Aberta vem para agregar na necessidade cont√≠nua e permanente de qualifica√ß√£o dos funcion√°rios.

"N√≥s temos uma √°rea de atua√ß√£o que √© muito especializada. E esta especializa√ß√£o n√£o existe, de uma forma sistematizada, no mercado privado. Nossos aparelhos formadores internos n√£o t√™m tamanho suficiente para atender ao n√ļmero de servidores que precisamos treinar, capacitar e educar, e nem atende √† velocidade e ao volume de conhecimento que paira sobre o Legislativo", explicou.

Projeto Sustent√°vel

A Universidade Aberta também atenderá um conceito sustentável, ou seja, o custo dos cursos será de acordo com a renda do aluno: quem tiver um rendimento menor pagará menos para ter acesso ao conhecimento.

"A ideia é que consigamos gerar, compartilhar e disseminar conhecimento sobre o Legislativo de uma forma equilibrada e sustentável, sem visar lucros estupendos, aproveitando o melhor que temos das nossas Casas, que são os servidores", declarou a diretora de educação continuada.

Pensar crítico

Outro diferencial da universidade aberta ser√° a liberdade que os servidores ter√£o para abordar temas cr√≠ticos de forma mais aut√īnoma, uma vez que, longe das Casas, √© poss√≠vel tratar de diversos assuntos sem grandes limita√ß√Ķes.

"O Sindicato √© um espa√ßo fant√°stico e prof√≠cuo para pensarmos de uma forma mais cr√≠tica, pensando sobre as Casas, mas com uma dist√Ęncia suficiente, para melhorar a imagem do servidor, porque a comunidade participar√° ativamente do projeto de universidade aberta", ressaltou Perlin.

Por enquanto os diretores do Sindilegis ainda estão avaliando as principais propostas de empresas para coordenação do projeto. Segundo Perlin, os dirigentes sindicais estão trabalhando para atingir a meta de implementar a Universidade Aberta no segundo semestre. Os cursos serão ministrados em plataforma virtual e também no Centro de Atividades Sociais do Sindilegis, que fica localizado na 610 Sul.



Ver todas as notícias