Saúde mental na quarentena

#Ficaadica: como manter a saúde mental em tempos de pandemia  

Psicóloga dá orientações para lidar com o cenário atual de isolamento social

 

Como lidar com as emoções e manter a saúde mental em um cenário de pandemia e isolamento social? Esse é um dos desafios impostos pelo novo coronavírus. A crise gerada pela Covid-19 tem reflexos sobre a saúde mental e os cuidados precisam ser redobrados. O #Ficaadica, #Ficaemcasa de hoje traz dicas para enfrentar esse período de incertezas com equilíbrio.

 

“Não existe uma receita certa. Cada um precisa encontrar o seu caminho de se manter saudável mentalmente e de lidar com as emoções. Estudos mostram que os impactos na saúde mental diminuem a nossa imunidade. Não precisamos passar por esse período sofrendo. É possível ter equilíbrio”, afirmou a psicóloga Caroline Rocha Coelho.

 

A profissional recomenda a adoção de hábitos saudáveis, buscar fontes confiáveis de informação e atividades de relaxamento para driblar a ansiedade, a insegurança, a tristeza e outros sentimentos diante do isolamento.

 

  • Adote uma alimentação saudável

 

“Eu sugiro uma alimentação mais regrada evitando carboidratos, açúcar, condimentos, sal e álcool em excesso. Tudo isso aumenta a ansiedade, a tristeza, a improdutividade, além de acarretar problemas na saúde e fragilizar ainda mais o organismo diante do vírus. Precisamos proteger a nossa imunidade, portanto, o melhor é não criar bengalas na alimentação ou nos vícios, como bebidas alcoólicas e cigarro”, destacou.

 

  • Pratique exercícios físicos e atividades para estimular o cérebro

 

“A prática de exercícios físicos ajuda demais nesse período porque dá vazão aos hormônios de estresse e ansiedade. Existem várias possibilidades para se exercitar em casa, tanto opções gratuitas ou com o auxílio de um profissional. A prática de atividade física no início da manhã contribui para a concentração e a melhoria da qualidade do sono. Jogos, caça-palavras e xadrez são exemplos de atividades que dão dinamismo para o cérebro e também ajudam na concentração”, explicou a psicóloga.

 

  • Mantenha contato com familiares e amigos

 

“É importante manter uma frequência de comunicação com familiares e amigos nesse período. A distância física pode ser amenizada por meio das chamadas de vídeo. Devemos aproveitar esse momento para falar mais com as pessoas que a gente ama”, recomenda Caroline.

 

  • Cuide da higiene do sono

 

“É importante evitar alimentos ricos em gordura e diminuir a atividade digital. O ideal é ficar uma hora sem tocar no celular antes de dormir. Procure ler um livro, conversar com o(a) parceiro(a) ou familiar, meditar, se apegar à sua fé ou crença caso tenha alguma. A falta de sono pode ser ansiedade, tristeza ou depressão. Em alguns casos, a dificuldade para dormir precisa ser investigada com carinho e é essencial procurar um psiquiatra”, ressaltou a psicóloga.

 

  • Tenha cuidado com a quantidade e a veracidade das informações

 

“Todos nós temos medo da morte. Então é importante assistir e ler o noticiário com moderação, filtrar as informações e procurar a fonte delas. A maioria de nós possui muitos grupos no WhatsApp, por exemplo, por onde recebemos informações em que muitas vezes a fonte não é checada. Fazer uma seleção desses grupos e escolher em quais deles a gente realmente quer estar é um caminho. O importante é ficar em casa, se alimentar bem, se manter saudável e se informar com responsabilidade”, disse.

 

  • Aproveite o tempo livre

 

“Quem está com tempo livre pode realizar diversas atividades dentro de casa: pintar a casa; organizar algum espaço da residência; ler aquele livro que estava esquecido; assistir filmes e séries; aprender uma nova habilidade; cultivar plantas. Lidar com esse período pode ser uma oportunidade para nos reconectarmos conosco. Isso é maravilhoso para o cérebro”, pontuou Caroline.

 

  • Priorize o ócio criativo, se cobre menos e se cuide

 

“Nós vivemos em um mundo em que a produtividade nos é cobrada o tempo inteiro. Dificilmente alguém dá conta disso. O ócio criativo significa traçar metas com o compromisso flexível da realização. Para um hábito se instalar no cérebro, é preciso em média 21 dias. Então, respire, tenha paciência, atravesse um dia de cada vez e quando menos esperar, você estará lá”, orienta.

 

  • Busque ajuda de um profissional, se for necessário

 

A psicóloga alerta para a necessidade de buscar ajudar profissional para lidar o com o cenário atual de crise. “Se você estiver com muita ansiedade, tristeza e outros sentimentos que te atrapalhem talvez seja a hora de fazer psicoterapia. Esse serviço está disponível de forma online durante a pandemia e é uma oportunidade de autoconhecimento e transformação. Da mesma forma é importante avaliar a necessidade de buscar ajuda psiquiátrica”, concluiu.

 

 

 

Deixe seu comentário