imagem

#FicaADica: Filmes que pautam depressão e suicídio enriquecem discussão do Setembro Amarelo

Sindilegis traz mais indicações de produções de audiovisual que abordam temas relacionados à saúde mental

 

A campanha Setembro Amarelo voltou a pautar a importância dos cuidados com a saúde mental e o tabu em torno da depressão e do suicídio com o objetivo de superar os estigmas relacionados a esses temas. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, cerca de um milhão de pessoas ao redor do mundo tiram a própria vida todos os anos e 90% desses casos poderiam ter sido evitados se as causas tivessem tratamento precoce.

Os dados alarmantes, que refletem uma triste realidade em que uma pessoa se suicida a cada 40 segundos, evidenciam a real necessidade de se discutir o assunto com responsabilidade e empatia.

O Sindilegis, como entidade representativa de servidores do Legislativo e do TCU, está ciente da importância de discussões que impactem no bem-estar social de seus filiados. Por isso, neste #FicaADica, #FicaEmCasa, o Sindicato separou indicações de produções de audiovisual que podem contribuir para a reflexão e enriquecer o debate. Confira!

  • Not Alone (2017)

 

Este documentário da Netflix aborda a depressão na adolescência. Jacqueline Monetta é uma jovem de 18 anos que tenta lidar com uma perda muito difícil. Sua melhor amiga se suicidou enquanto ainda estavam no ensino médio. Para entender melhor os sentimentos de sua amiga e a realidade das pessoas com transtornos mentais, a jovem conversa com adolescentes com depressão e pensamentos suicidas.

 

 

  • Divertida Mente (2016)

 

O longa-metragem da Disney e Pixar foi o vencedor do Oscar de melhor animação em 2016. De forma leve e divertida, o filme explica didaticamente como o cérebro humano é responsável por administrar as cinco emoções básicas – Alegria, Tristeza, Medo, Raiva e Nojo – e a importância do seu equilíbrio para o bem-estar.

 

 

  • Últimos Dias (2005)

 

 

Esta produção do aclamado diretor Gus Van Sant aborda os últimos dias do cantor Kurt Cobain, vocalista da banda grunge Nirvana. Kurt tirou a própria vida aos 27 anos, em 1994. A notícia de sua morte chocou o mundo e ajudou a fomentar discussões sobre depressão, abuso de substâncias e suicídio.

 

 

  • Orações para Bobby (2009)

 

 

 

 

Este “docudrama” é baseado no livro homônimo de Leroy F. Arrons e conta como Mary Griffith, uma mulher conservadora e muito devota, cria seus filhos de acordo com os ensinamentos cristãos. Sua vida sai de controle quando seu filho Bobby assume ser gay. A pressão da sociedade e tentativas de “cura” por sua família levam o jovem a se suicidar. Devastada, Mary tentará entender os sentimentos do filho e a razões que o levaram a tirar a própria vida, desconstruindo seus preconceitos e procurando por paz de espírito.

 

  • O Lado Bom Da Vida (2012)

 

 

Mais um filme baseado em um romance, O Lado Bom Da Vida rendeu um Oscar de Melhor Atriz à Jennifer Lawrence e conta a história de um professor que passa quatro anos internado em um hospital psiquiátrico. Pat Solitano, interpretado por Bradley Cooper, recebe alta com o objetivo de reconquistar sua esposa e se reaproximar da família. A dinâmica do enredo muda quando ele é apresentado à Tifanny, uma jovem peculiar com quem ele forjará um laço inesperado.

 

 

Deixe seu comentário