Importância de servir e enfrentar desafios de frente foram destaques da palestra do navegador Amyr Klink

Com o tema “Gestão de mudança e resiliência”, ele também revelou dificuldades que viveu durante suas muitas viagens solitárias por lugares como a Antártica

Imagine você sozinho no meio do oceano… Dias, meses e até anos. Desafiador? Enlouquecedor? Pois foi assim boa parte da aventura do renomado navegador brasileiro e escritor Amyr Klink. Ele revelou sua experiência de mais de três décadas navegando por lugares como a Antártica. O compartilhamento ocorreu na tarde desta segunda-feira (29), no auditório Instituto Serzedello Corrêa (ISC), que estava lotado por servidores da Câmara, Senado e TCU.

A palestra – cujo tema foi “Gestão de Mudança e Resiliência” – foi realizada pelo Sindilegis, em conjunto com a Câmara, Senado e TCU, em celebração ao Dia do Servidor. Klink ficou conhecido por ter feito uma travessia em barco a remo ao Oceano Atlântico. Foram mais de 7 mil Km sozinho.

Toda essa experiência navegando, planejando viagens e ficando solitário durante centenas de dias, rendeu aprendizados importantes para o navegador. O primeiro deles, citado na abertura da palestra, foi o real significado de servir: “Não estamos sozinhos. Há muitos que nos servem, como nós servimos a muitos. Essa comunidade prossegue com essa cadeia onde uns servem aos outros e isso precisa sempre ser bem feito”.

Amyr Klink também fez uma viagem inacreditável, que rendeu sua fama em navegação. Foi a bordo do Paratii que ele iniciou o Projeto Antártica 360 Graus, em que faz a circunavegação polar pela rota mais difícil: foram 88 dias de viagem e 14 mil milhas, atravessando os oceanos Atlântico, Índico e Pacífico. “Eu acreditava que venceria o oceano, mas descobri que na verdade vim junto com ele. Estava feliz por ter cumprido meu plano”, contou.

O analista da Câmara, Sérgio Falcão, já tinha assistido a duas palestras de Amyr Klink, mas teve uma nova experiência desta vez. “Eu adorei as duas [palestras], mas ele surpreendeu hoje com novas histórias e uma nova forma de contar; de maneira simples e gostosa. Adorei!”. Para Falcão, “é um privilégio trabalhar no Congresso e ter acesso a palestras como essas. Agradeço muito ao Sindilegis”.

Já a servidora do TCU Cristina Colusso assistiu à palestra pela primeira vez. “Para mim foi super importante, pois mostra uma perspectiva que é entender o papel do servidor. A gente serve [os cidadãos], mas isso também serve para mim, pois me muda como pessoa, e conseqüentemente, muda a minha atitude para com o outro”. Ela também elogiou a iniciativa do Sindilegis.

Com bom humor e irreverência, Amyr também citou sua experiência em lidar com situações incomuns como temperaturas negativas e tempestades. Ele afirma que ao invés de fugir é preciso enfrentar o problema. “A escassez é a mãe da criatividade e da competência”, disse.

Homenagens

No início do evento, os diretores da Câmara e do Senado e o Secretário de Administração do TCU tiveram a oportunidade de falar sobre o Dia do Servidor e o atual momento do Brasil. “Esperamos que o presidente da República venha aberto a ouvir os servidores, que são a materialização do Estado. Que ele venha disposto ao diálogo e empenhado em transformar o Brasil num País melhor”, disse o presidente do Sindilegis, Petrus Elesbão.

Participaram da cerimônia de abertura a diretora-geral do Senado, Ilana Trombka, o diretor-adjunto da Câmara, Mauro Barreto, o secretário de Administração do TCU, Carlos Caixeta, e representando o Sindilegis, o presidente Petrus Elesbão e o vice Paulo Cezar Alves. Todos agradeceram o apoio do Sindicato em tornar o evento possível.

Ao final, foram sorteados para os filiados três pares de cortesias do Legis Club para a churrascaria

Tags: No tags

Deixe seu comentário