trabalhadores

Não existem representantes dos trabalhadores no Brasil?

Trabalhadores sabem das notícias sobre suas vidas por meio da mídia

Desde o decreto de calamidade pública, o governo e o Congresso vêm adotando medidas para reduzir o impacto da pandemia na economia brasileira. Entre essas medidas estão algumas que afetam o salário e as condições de vida dos trabalhadores da iniciativa privada e do serviço público.

“É evidente que uma crise desta proporção traz consigo desafios imensos à população e às autoridades. A gravidade do momento requer escolhas que somente terão legitimidade se feitas na base do diálogo entre as forças produtivas do país”, pontuou Petrus Elesbão, presidente do Sindilegis.

No entanto, desde que a imprensa passou a noticiar as iniciativas em discussão ou adotadas pelo governo e pelo Congresso, principalmente aquelas relacionadas ao trabalhador, não se tem notícia de nenhuma reunião ou videoconferência realizada com os representantes da classe trabalhadora.

Ontem, dia 14/4, por exemplo, o secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, em videoconferência promovida pela XP Investimentos, comentou sobre algumas iniciativas que o governo pretende levar adiante. No dia 28/3, o ministro da Economia, Paulo Guedes, também em reunião virtual realizada pela XP Investimentos, abordou a questão dos salários dos trabalhadores e servidores. E, por fim, em diversas ocasiões, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, também teceu comentários acerca do assunto.

“Espanta o fato de os trabalhadores não serem convidados para reuniões que tratem de assuntos tão sensíveis e que atingem diretamente esse grupo. Sabemos, por meio dos jornais e dos canais de comunicação da XP Investimentos, dos encontros feitos com a indústria, o comércio, os bancos e as corretoras. Isso é bom. Mas os trabalhadores não serão chamados? Não possuem representantes? Fica parecendo que o trabalhador não existe para as autoridades”, comentou Alison Souza, vice-presidente do Sindilegis.

A Diretoria do Sindilegis solicita às autoridades que convoquem os representantes dos servidores públicos e dos trabalhadores da iniciativa privada para esclarecerem as medidas que pretendem adotar e, também, ouvir as contribuições daqueles que movem o país tanto quanto os empresários e os comerciantes.

 

Deixe seu comentário