O Depol, em parceria com o Sindilegis e o Corpo de Bombeiros de Brasília, orientaram os servidores de como proceder em situações de incêndio


Era para ser mais um dia comum de trabalho, mas as sirenes tocaram, e o alvoroço e a fumaça começaram. Não era um incêndio verdadeiro, no entanto. Na última sexta-feira (8), ocorreu no Anexo II da Câmara dos Deputados a simulação anual que a Casa realiza com o objetivo de ensinar aos servidores como proceder em situações de perigo.   

A atividade, que faz parte do projeto de segurança, foi coordenada pela Assessoria de Projetos e Gestão da Câmara dos Deputados e faz parte do plano de segurança da Casa. O Departamento de Polícia Legislativa (Depol), o Departamento Médico (Demed), o Corpo de Bombeiros, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), a Polícia Militar e o Detran trabalharam de forma integrada, garantindo que 1.500 pessoas aprendessem técnicas para sobreviverem em caso de incêndio e emergência no Congresso Nacional.

O vice-presidente do Sindilegis Paulo Cezar Alves parabenizou a atitude da Casa em realizar mais uma vez o procedimento: "É claro que esperamos que isso nunca venha a ocorrer, mas caso aconteça, os servidores precisam estar preparados”.

Rapidez e boa estrutura 

Como parte do treino, houve também a simulação de resgate a nove vítimas, com quadros de fraturas, queimaduras e lesões. O treinamento de atendimento às vítimas foi realizado no estacionamento da Câmara. 


Para atender a toda demanda de “feridos”, seis ambulâncias e até um helicóptero foram utilizados durante a simulação. Toda essa estrutura serve para fornecer uma maior agilidade e sucesso nos atendimentos aos acidentados.




Ver todas as notícias