Para o presidente do Sindilegis, todos os trabalhos relacionados à reforma devem ser suspensos até que a Comissão Parlamentar de Inquérito apresente relatório final


O presidente do Sindilegis, Petrus Elesbão, defendeu a imediata suspensão dos trabalhos da Comissão Especial sobre a PEC 287/16 (reforma da Previdência) até a conclusão dos relatórios da Comissão Parlamentar de Inquérito no Senado, que tem previsão de ser instalada ainda este mês. O discurso ocorreu na tarde dessa segunda-feira (10), durante seminário da Liderança do PCdoB sobre a reforma da Previdência. 

“Não há sentido continuar o andamento de qualquer Comissão sobre esse assunto até que a CPI apresente uma definição. Nesse momento, o Sindilegis está atuando para que os trabalhos sobre a reforma da Previdência sejam interrompidos”, declarou o presidente. 

O seminário sobre a reforma da Previdência contou com a presença de diversos parlamentares e especialistas sobre o tema. O objetivo do evento foi ampliar os debates e reforçar a resistência às propostas do governo de Michel Temer. 

De acordo com a líder do PC do B, Deputada Alice Portugal (BA), o foco do governo é forçar a população a aderir a um modelo falido de Previdência. “Eles querem que as pessoas desistam da Previdência e apostem nos modelos privados, já usados - e que fracassaram - no passado. De novo, esse governo tenta levar as pessoas aos bancos para que a Previdência Social quebre”, declarou. 

Na avaliação da Deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), há uma manobra a fim de enganar as pessoas. "Mesmo com os recuos que o governo anuncia, não sabemos o que fica na reforma da Previdência. Mas o mais cruel não muda: os 25 anos de contribuição", declarou.

O Deputado Chico Lopes (PCdoB/CE), grande defensor dos brasileiros nessa batalha contra a reforma, disse que a luta deve ser permanente: "Nosso trabalho está surtindo efeito, o Governo já está recuando em muitos aspectos e vamos permanecer vigilantes e atuantes".

Também estiveram presentes durante o seminário o economista André Calixtre, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea); o economista e professor da Unicamp, Eduardo Fagnani; a líder do PCdoB no Senado, Vanessa Grazziotin (AM); o Deputado Davidson Magalhães, membro da Comissão Especial da reforma da Previdência; e o coordenador da Assessoria Técnica do PCdoB na Câmara, Flávio Tonelli Vaz.


Tags: seminario; reforma



Ver todas as notícias