Petrus Elesbão afirmou que parlamentares devem ficar cientes de que não terão os votos dos servidores se continuarem tentando prejudicá-los


Em audiência pública realizada nesta quinta-feira (9) pela Comissão Senado do Futuro, o presidente do Sindilegis, Petrus Elesbão, participou da mesa de debate e foi categórico ao afirmar que há uma campanha enganosa para acabar com o serviço público e transferir para os cidadãos de bem os erros da Administração Pública.

“As ações que estão chegando para o Congresso Nacional discutir, como a reforma da Previdência, o aumento da alíquota previdenciária e o congelamento dos salários, só demonstram que o Governo quer colocar a conta da corrupção e dos recursos desviados no bolso do servidor. Não vemos o Governo tomando uma atitude radical para combater a corrupção e acabar com a sonegação”, disse. A sessão reuniu diversas entidades no Senado Federal para debater o funcionalismo público brasileiro.

Petrus ressaltou ainda o trabalho que o Sindilegis tem realizado para combater as atuais medidas contra o serviço público. “O Sindicato já está estudando medidas jurídicas contra a MP 805/2017. Estamos articulando para levar essas questões à Organização Internacional do Trabalho (OIT) e outros órgãos internacionais e trabalhando politicamente para barrar todas as propostas que prejudicam o servidor. Vamos à luta, deixando claro que, ano que vem, quem votou contra o servidor público não vai voltar para o Congresso Nacional”.

O Senador Hélio José (PROS-DF), que presidiu a audiência, lembrou que as atuais decisões do Governo têm sido impostas à sociedade e aos servidores públicos de forma autoritária, sem debate e de forma antidemocrática. “A CPI da Previdência comprovou que não há déficit na Previdência Social. Mesmo assim, o Governo quer impor essas medidas, divulgando dados inverídicos e ludibriando a população. Não vamos aceitar isso. O Governo precisa cortar os próprios gastos, combater a sonegação fiscal e a corrupção antes de jogar a conta para o povo brasileiro”, argumentou.

Participaram da reunião o diretor de assuntos parlamentares do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Sindifisco Nacional), José Devanir de Oliveira; o secretário-geral da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef), Sérgio Ronaldo da Silva; o presidente da Associação Nacional dos Especialistas em Políticas Públicas e Gestão Governamental (Anesp); e o diretor da Pública – Central do Servidor Alex Canuto.


Ver todas as notícias