Encomendada pelo Sindilegis, pesquisa realizada pelo Instituto Dataplan demonstra que o Governo está muito longe dos 308 votos de que necessita

Apesar da atual instabilidade do cenário político-econômico no Brasil, o Sindilegis continua em alerta para os desdobramentos da PEC 287/16, que atualmente aguarda votação no plenário na Câmara dos Deputados. Foi pensando nisso que encomendou uma pesquisa com o posicionamento dos deputados federais sobre a reforma da Previdência, elaborada entre os dias 9 e 16 de maio pelo Dataplan – instituto que trabalha para oferecer informações precisas nas áreas política, mercadológica e social. No total, 40,04% dos entrevistados se declararam contra a reforma da Previdência.

Foram consultados 512 dos 513 deputados federais, tendo em vista que a Deputada Tia Eron esteve temporariamente afastada das atividades, sem um suplente para substituí-la. De acordo com a pesquisa, além dos 40,04% contrários à reforma, 11,13% dos deputados estão indecisos, 8,01% são a favor, 7,03% a favor com ressalvas e 33,79% não se manifestaram. Para aprovar a PEC, são necessários 308 votos. No entanto, até o momento, apenas 77 deputados se declaram a favor da proposta. 

A pesquisa consiste na realização de entrevistas pessoais via CATI (Entrevista Telefônica Assistida por Computador), com aplicação de questionário digitalizado junto aos parlamentares ou por intermédio de seus assessores, além de entrevistas pessoais nos gabinetes e pontos de circulação dos deputados. Além do posicionamento por sexo, estado e partido, foram levantadas as ressalvas dos parlamentares favoráveis. Os estudo também demonstra a base de apoio de cada parlamentar e gastos na campanha de 2014. 

O presidente do Sindilegis, Petrus Elesbão, explica que, independentemente do cenário que o Brasil enfrenta, é preciso continuar alerta quanto às reformas: “Apesar da tramitação estar temporariamente paralisada na Câmara, isso não significa que a guerra acabou. Com essa pesquisa encomendada pelo Sindicato, a sociedade poderá acompanhar o voto de cada parlamentar e verificar quem está do lado do povo e quem não está”.

Para a diretora Magda Helena, o número de deputados que não responderam a pesquisa (173) mostra que o total de votos contrários à reforma tende a aumentar. “Nossa meta agora é convencer os 11% que estão indecisos e os mais de 30% que ainda não se manifestaram a dizer não ao fim da Previdência Social no Brasil”, defendeu a diretora, responsável pelo acompanhamento dos projetos de lei de interesse dos servidores em tramitação no Congresso. 

A pesquisa segue estratégia semelhante à apresentada pelo Instituto Pública, iniciativa da Pública – Central do Servidor. Em abril deste ano, em parceria com o Sindilegis, o Instituto divulgou o posicionamento dos 513 parlamentares em relação à PEC 287 – na ocasião, foram 284 votos contrários à reforma; 179 a favor; 17 indecisos; e 36 não se manifestaram.

Clique aqui para ver o resumo da pesquisa. 

A pesquisa na íntegra pode ser acessada clicando aqui.


Tags: pesquisa; reforma; parlamentares



Ver todas as notícias