Ação visa a desmentir falácias do Governo sobre privilégios na Previdência dos servidores


Diante dos esforços do Governo Federal para aprovar a reforma da Previdência a qualquer custo ainda em dezembro, o Sindilegis e aproximadamente 30 entidades representativas de servidores públicos federais vêm articulando uma campanha na mídia para contra-atacar as investidas do Governo. A ideia é que, a partir dessa nova frente de mobilização sindical, outros estados possam aderir ao movimento, elevando a campanha a nível nacional.

Após o presidente Michel Temer apresentar a “nova” versão da Proposta de Emenda Constitucional que pode modificar a Previdência Social do País, o presidente do Sindicato, Petrus Elesbão, se reuniu, na quinta-feira (23), com representantes das principais entidades representativas. Juntos, eles deram continuidade a uma estratégia para lançar uma campanha nos meios de comunicação e combater a reforma. “Não vamos permitir que os servidores sejam penalizados com base na mentira propagada em vários veículos de comunicação de que nós somos ‘privilegiados’”, enfatizou Elesbão. 

Enquanto isso, deputados e senadores aprovaram no dia 22 de novembro um projeto de lei que autoriza o repasse inicialmente de R$ 99 milhões para publicidade, incluindo propagandas para aprovar a reforma da Previdência. Os gastos são dez vezes maiores que o orçamento previsto para essa campanha e estão disponíveis para acesso por meio da Lei de Acesso à Informação do Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle. 

É importante relembrar que ainda no primeiro semestre, o Sindilegis protocolou ofício junto ao Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) denunciando o Governo por propaganda enganosa em sua campanha sobre a reforma da Previdência, veiculada na grande mídia. 


Tags: previdência; pec 287



Ver todas as notícias