Questões como criação de CNE e plano de saúde também encontraram espaço durante o encontro

Em reunião realizada na tarde da última segunda-feira (13), os diretores do Sindilegis para a Câmara dos Deputados Paulo Cezar Alves, Helder Azevedo, Magda Helena Tavares, Fátima Mosqueira e Bruno Paiva fizeram um apanhado das principais ações que vêm sendo desenvolvidas contra a reforma a Previdência, do Governo Federal.

Diante do temor de alguns servidores da Casa em perderem o direito ao benefício previdenciário, os diretores do Sindilegis acalmaram a categoria ao afirmar que o movimento encabeçado pela entidade, intitulado “A Previdência é Nossa!”, tem alcançado resultados significativos junto à sociedade.

“O Sindilegis vem desenvolvendo algumas ações, uma delas é o movimento “A Previdência é Nossa!”, que vem ganhando força em todo país. As nossas campanhas estão chegando a todos os estados e fortalecendo a nossa causa”, assegurou Helder Azevedo.

Segundo Paulo Cezar, o objetivo do movimento é desmistificar as falácias vendidas pelo Governo Federal. Todavia, para que isso chegue à toda população, o Sindicato optou por lançar um movimento independente, que pudesse representar trabalhadores brasileiros, não apenas os servidores do Legislativo.

“Esse trabalho que estamos fazendo não é apenas para os filiados ou servidores da Câmara, do Senado e do Tribunal de Contas da União. Nosso objetivo é atingir toda sociedade. Por isso, deixamos a vaidade de lado e optamos por não aparecer”, esclareceu Paulo Cézar Alves.

A diretora de observação política, Magda Helena, apresentou as peças publicitárias e jornalísticas já desenvolvidas para o movimento. Segundo ela, os panfletos, spots de rádio, outdoors e vídeos estão promovendo amplamente os anseios dos servidores e angariando apoio, também, da sociedade.

“É com grande satisfação que estamos encabeçando esse movimento, pois sabemos que ele não é apenas nosso, ele vai atender também aos nossos filhos e netos, que precisarão da aposentadoria”, assegurou a diretora.

Funções comissionadas

O encontro também foi palco para um debate amplo sobre outras demandas dos servidores da Câmara. Um dos assuntos da pauta foi o anúncio da possibilidade de extinção de algumas funções comissionadas para criação de cargos de natureza especial (CNE).

Diante do tema, o Paulo Cezar Alves pontuou que o Diretor-Geral da Câmara dos Deputados, Lúcio Xavier Lopes, já sinalizou que qualquer reestruturação interna na Casa contará com a participação do Sindilegis, que submeterá os desdobramentos à deliberação dos servidores.

“Tudo que for tratado com o Diretor-Geral da Câmara chegará aos servidores antes de qualquer decisão por parte do Sindicato. Nós vamos deliberar isso em conjunto. A palavra final será de vocês”, assegurou o Alves.

Plano de saúde

Sobre o plano de saúde dos servidores, Paulo Cezar Alves foi enfático ao afirmar que a demanda tem sido uma das lutas pessoais dele, por acreditar que o benefício é de suma importância para toda a categoria.

Ao final da reunião, os servidores se comprometeram a auxiliar mais intensamente na divulgação das peças do movimento “A Previdência é Nossa!”, tanto das mídias sociais quanto internamente. Os servidores também sugeriram criar uma comissão para sistematizar informações sobre os parlamentes, a fim de subsidiar novas ações contra a reforma da previdência.

 


Tags: camara, sindilegis, servidores



Ver todas as notícias