Essa é a primeira vez que as contas da Previdência serão investigadas

Os dirigentes do Sindilegis compareceram em peso, nesta quarta-feira (26), à sessão que instalou a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Previdência no Senado Federal. Os senadores integrantes vão analisar as contas da Previdência Social, da Saúde e da Assistência Social, que compõem a Seguridade Social. 

Pela primeira vez em 92 anos, ou seja, desde que a Previdência Social foi criada, uma CPI irá investigar o assunto. O Senador Paulo Paim (PT/RS) foi eleito presidente da Comissão, o Senador Telmário Mota (PDT/RR), vice-presidente, e o Senador Hélio José (PMDB/DF), relator.

O presidente do Sindilegis, Petrus Elesbão, destacou que o Sindicato tem lutado desde o início pela instalação da CPI e comemorou este importante passo do Senado para revelar a verdade sobre as contas da previdência. “Insisto: antes de debater a PEC 287/2016 na Câmara, é preciso desvendar os números da Seguridade Social e ter certeza da necessidade da reforma. Por isso, defendemos a suspensão dos trabalhos da Comissão Especial até a conclusão das investigações da CPI no Senado”, ressaltou.

O presidente da CPI, Paulo Paim, defende que não há déficit na Previdência, mas sim um superávit. Por isso, para ele, é preciso investigar a fundo o real destino dos recursos previdenciários. "Somente nos últimos quatro anos, foram recolhidos mais de R$ 100 bilhões que não foram repassados para a Previdência. Vamos trabalhar coletivamente para esclarecer quem meteu a mão no dinheiro da Seguridade", afirmou.

O relator da CPI, Hélio José, declarou que o servidor não pode pagar pelo suposto rombo previdenciário. "Nós servidores pagamos nossos impostos regularmente, recolhidos na folha. Tenho certeza de que não somos os responsáveis por esse rombo alegado pelo Governo e não vamos pagar por isso, assim como todos os demais trabalhadores. Direitos adquiridos não podem ser alterados. Quem entrou no jogo com uma regra deve terminá-lo com a mesma norma. Estamos aqui para trabalhar e já ressaltamos que todas as entidades terão voz nessa CPI", disse.

As reuniões da CPI serão realizadas às terças-feiras, a partir das 8h30. A primeira delas será no dia 2 de maio e deve contar com a presença de auditores da própria Previdência.
Confira aqui a lista dos membros da comissão.

Confira aqui a lista dos membros da comissão.

Tags: reforma da previdência, CPI, investigação, senado



Ver todas as notícias