WhatsApp Image 2019-08-06 at 4.39.45 PM (2)

Presidente da CCJ do Senado promete diálogo sobre reforma da Previdência

Encontro entre senadora Simone Tebet (MDB/MS) com as entidades – o Sindilegis entre elas – serviu para que dirigentes pudessem apontar pontos polêmicos da PEC 06/19

A presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, Senadora Simone Tebet (MDB/MS) recebeu, nesta terça-feira (6), representantes de diversas entidades, entre elas o Sindilegis. O motivo da reunião foi devido à estratégia iniciada pelas entidades com o objetivo de se buscar uma reforma da Previdência mais justa no Senado.

A presidente afirmou que irá ampliar o debate sobre a PEC 06/19 e, de antemão, pediu que as carreiras apresentassem números e impactos financeiros e econômicos para convencer os parlamentares a mudarem o texto.

Na ocasião, o presidente do Sindilegis, Petrus Elesbão, entregou um documento formulado pelo Fonacate, Frentas e o próprio Sindicato com os sete destaques supressivos que pretendem apresentar na votação em segundo turno da reforma, ainda na Câmara dos Deputados. “Ainda existem muitas maldades nesta reforma, entre elas, as regras de transição e cálculo do benefício para os servidores que ingressaram entre 2004 e 2013 e para quem entrou antes de 2003. Temos que corrigir isso”, avaliou Elesbão. 

Entre os destaques, as entidades solicitam o fim do pedágio de 100% para a regra de transição e que a base de cálculo seja os 80% maiores salários, e não a média de 100%, que reduziria demais a renda familiar.

 

Câmara aprova texto em segundo turno

Na madrugada desta quarta-feira (7), a Câmara dos Deputados aprovou, em segundo turno, o texto-base da reforma da Previdência. O placar foi de 370 votos a favor, 124 contra e 1 abstenção. O projeto ainda pode ser modificado, porque falta a Câmara votar os destaques, pedidos para votar separadamente uma emenda ou parte do texto. Eles precisam ter, também, 308 votos para conseguir mudar a proposta.

Deixe seu comentário