F4561A5A-6201-4FA0-95BC-5E8F046FB6B6

Sindilegis ingressa em Movimento Brasília Maior que Covid-19

O Movimento Brasília Maior que Covid-19 (BMC), divulgado pelo Sindilegis na semana passada, continua com o seu trabalho de produzir, arrecadar e distribuir equipamentos de proteção individual (EPIs) para profissionais da saúde em clínicas e hospitais do Distrito Federal. O projeto já atendeu mais de oito entidades, como o Hospital Regional da Asa Norte (Hran) e o Instituto Hospital de Base. Ciente de seu compromisso com seus filiados e com a sociedade brasiliense em geral, o Sindicato decidiu somar forças à iniciativa, oferecendo consultoria jurídica voluntária ao BMC.

O Movimento nasceu com uma proposta de arrecadação de materiais pelo médico residente do Hospital Universitário de Brasília (HUB), Pedro Henrique Morais, e ganhou novas proporções quando o estudante de engenharia mecânica da Universidade de Brasília (UnB), Gabriel de Almeida, criou um modelo mais eficiente de máscara (face shield) de proteção em uma impressora de 3D. O projeto ganhou diversos adeptos, entre voluntários e colaboradores. O grupo já distribuiu mais de mil e cem unidades para diversas instituições.

A diretora de Benefícios do Sindicato, Fátima Mosqueira, explica a importância do engajamento social nesse tipo de ação. “A ideia que esse grupo propõe vai ajudar na manutenção da população de todo o DF. Todos acompanham como está a dificuldade em suprir a demanda por equipamentos de proteção e os profissionais da saúde precisam deles para atender pacientes. Aquele que doa e colabora com a campanha, pode vir a ser atendido por alguém que está fazendo uso da doação. Estamos todos conectados e essa pandemia deixou isso muito evidente para o país. É hora de união para fazer o bem”, convidou.

Marcos de Lara Ramos, gerente jurídico do Sindilegis, explica que o assessoramento oferecido ao projeto é um trabalho técnico: “O Sindicato já havia feito uma doação em dinheiro, mas quisemos fazer mais. Nós os ajudamos, então, na elaboração de um estatuto, o que é muito importante para o funcionamento do Movimento, uma vez que lidam com arrecadação e doação. O trabalho realizado além de bonito, é muito valoroso”.

Apesar de todo o trabalho realizado até agora, o grupo continua arrecadando e produzindo mais materiais. “As doações de artigos de proteção individual também são bem-vindas e podem ser entregues no Hospital Universitário de Brasília (HUB-UnB). São eles: máscaras N95, máscara cirúrgica, álcool em gel 70%, luvas descartáveis, avental hospitalar manga longa (SMS 60G/M2) e óculos de segurança de policarbonato”, informa o grupo em seu perfil no Instagram. Os materiais podem ser entregues no Setor de Grandes Áreas Norte 605, na Asa Norte, em Brasília.

O Sindilegis realizou uma doação ao projeto, em nome de seus filiados, para a compra de matéria-prima e convida os servidores interessados a contribuir também.

Para ajudar, basta clicar no link da “vaquinha virtual”:https://linktr.ee/bsbmaiorquecovid

One Response

Deixe seu comentário