????????????????????????????????????

TCU recebe Feira de Orgânicos e Artesanais em celebração ao Mês do Meio Ambiente

Evento acontece nos dias 6, 13 e 27 de junho, no gramado do Anexo II do Órgão

“Você é o que come”, já dizia o ditado. A partir desta quinta-feira (6), os servidores do Tribunal de Contas da União podem começar a se alimentar de maneira mais saudável graças à Feira de Orgânicos e Artesanais, uma iniciativa do Serviço Socioambiental da Secretaria-Geral Adjunta de Administração (Adgedam) do Órgão, em parceria com a Associação dos Produtores Orgânicos do Bioma Cerrado (Agro-Orgânica).

Os servidores Silvana, Patrícia, Marcelo e Benjamim aproveitam a feira de orgânicos e artesanais

A feira vai acontecer todas as quintas-feiras do mês de junho (dias 6, 13 e 27), de 8h às 14h, no gramado do Anexo II.  A ação marca a celebração do Mês do Meio Ambiente, mas a ideia é que o evento se estenda também para o mês de julho.  Além de frutas, verduras e legumes orgânicos certificados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, também é possível adquirir produtos artesanais de qualidade. São vendidos pães integrais, sem glúten e sem lactose, bolos, manteiga caseira, molhos e conservas.

O evento surgiu de uma visitação de servidores do TCU ao Viveiro do Senado Federal, onde já é realizada uma feira em parceria com a Agro-Orgânica. Benjamim Lima Júnior, auditor do Serviço Socioambiental, conta que o evento do Senado foi inspirador. “Nós temos um acordo de cooperação com a Câmara dos Deputados e com o Senado Federal. Em abril, nós vimos a experiência do Senado, visitamos o Viveiro e o nosso Secretário Luiz Henrique Pochyly da Costa expressou o desejo de trazer também para o tribunal”, explicou.

O funcionário da Agro-Orgânica, Geraldo Corrêa da Silva, destacou a vantagem em relação ao custo-benefício: “O produto orgânico custa, em média, o mesmo que os produtos comerciais, mas com a vantagem de ser livre de venenos, sem malefícios à saúde de quem consome”.

Patrícia Guimarães Eichler esteve na feira e ressaltou o impacto positivo da ação na saúde dos servidores. “Além da praticidade de poder comprar os produtos certificados e de boa qualidade perto do trabalho, a principal vantagem é que isso reflete na saúde do servidor e de suas famílias. No mercado, nós compramos produtos cheios de agrotóxicos e aqui não tem isso”, refletiu.

Orgânicos e certificados

Para que um produto seja certificado como orgânico deve atender a todos os princípios estabelecidos na Lei Federal 10.831, de 23 de dezembro de 2003, e possuir o Selo SisOrg, gerido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Os alimentos são mais saudáveis, pois são livres de agrotóxicos, hormônios e outros produtos químicos, logo, são mais saborosos também. Os produtos orgânicos têm mais valor nutricional e concentração de nutrientes, chegando a ser 20 vezes maior do que em alimentos comuns. A produção também respeita o meio ambiente e evita a contaminação do solo, da água e da vegetação, usando sistemas de responsabilidade social, principalmente na valorização da mão de obra.

Deixe seu comentário