Dezembro Vermelho: Sindilegis reforça a importância da prevenção às ISTs

Dezembro Vermelho Destaque
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

A iniciativa Dezembro Vermelho visa sensibilizar a população acerca da prevenção de infecções sexualmente transmissíveis

 

O último mês do ano traz consigo a campanha “Dezembro Vermelho”, de conscientização em relação aos problemas da AIDS e outras infecções sexualmente transmissíveis, conhecidas popularmente como ISTs. A campanha nacional foi criada diante a Lei 13.504, publicada no Diário Oficial em novembro de 2017, dando sequência às ações do Dia Mundial contra a AIDS, celebrado em 1º de dezembro em todo o mundo desde 1988. Neste mês, profissionais de saúde reforçam a importância de se prevenir e tratar a doença e demais ISTs.

Dados do Ministério da Saúde revelam que cerca de 920 mil brasileiros vivem com o vírus HIV e podem sofrer com o estágio mais avançado da infecção, esse chamado de AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida). O vírus ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de eventuais doenças. Cerca de 10.000 óbitos pela doença são registrados anualmente no Brasil.

As ISTs podem ser causadas por mais de 30 agentes como vírus, bactérias, fungos e protozoários que são transmitidos durante relações sexuais sem proteção e em alguns casos, por transfusão de sangue. Os principais sintomas das ISTs são a aparição de feridas pelo corpo, principalmente nos órgãos genitais, lesões na pele e dores ao urinar e praticar o ato sexual.

A forma mais eficiente de prevenir as infecções e fortemente repercutida pelos profissionais de saúde é usando preservativos durante o ato sexual. Camisinhas, tanto as masculinas quanto as femininas, são de extrema importância para evitar a contaminação e até mesmo uma gravidez inesperada.

Também é recomendado evitar compartilhar instrumentos perfurocortantes, tomar cuidados com transfusões de sangue que pode estar contaminado, realizar vacinações e exames periódicos para tratá-las o mais rápido possível se diagnosticadas. Uma vez identificadas por um médico, o tratamento inicia-se logo em seguida com o uso de medicamentos antirretrovirais.

 

O Serviço Único de Saúde (SUS) disponibiliza gratuitamente o teste de HIV, sífilis e das hepatites B e C. Procure uma unidade básica de saúde da rede pública ou os Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA). Também é possível saber onde fazer o teste pelo Disque Saúde (136).

Além da rede de serviços de saúde, você também pode fazer o teste de HIV por meio de uma Organização da Sociedade Civil, pelo Programa Viva Melhor Sabendo. Procure um profissional de saúde e informe-se sobre os testes.

Shopping Basket