soul-disney

#FicaADica: 8 filmes vencedores do Oscar para assistir em plataformas de streaming

Confira a curadoria especial do Sindilegis com indicações de filmes que conquistaram o mais prestigiado prêmio do cinema em Hollywood

 

O Oscar anunciou os vencedores de sua 93ª edição no último domingo (25). Em meio à pandemia de COVID, os Academy Awards tiveram que fugir do habitual para se adaptar aos tempos que estamos vivendo.

Para o público, a principal diferença se deu pela vasta oferta de filmes lançados diretamente nas plataformas de streaming. Apenas na Netflix é possível conferir 18 títulos indicados para a premiação. Ainda assim, o grande vencedor da noite, ganhador de três prêmios nas categorias “Melhor filme”, “Melhor direção” e “Melhor atriz”, Nomadland, ainda não está disponível para streaming no Brasil, apenas nos cinemas.

O Sindilegis preparou uma curadoria especial para seus filiados amantes da sétima da arte, com longas disponíveis nas plataformas nacionais. Confira abaixo títulos de filmes que chamaram a atenção da principal premiação do cinema hollywoodiano.

1) Mank:

O longa dirigido por David Fincher foi o líder de indicações em 2021, mas levou apenas oito das 35 estatuetas que concorria.

“Mank” nos transporta para a Hollywood dos anos 1930 e 1940 por meio dos belos sets de filmagens, dos estúdios e escritórios com o objetivo de contextualizar a história tumultuosa de Herman J. Mankiewicz, roteirista da obra-prima icônica de Orson Welles “Cidadão Kane” e sua luta contra Welles pelo crédito do texto do filme que se tornou um clássico do cinema.

Disponível na Netflix.

 

 

2) A Voz Suprema do Blues:

Vencedor do prêmio de “Melhor cabelo e maquiagem”, o primeiro conquistado por mulheres negras nesta categoria, o filme marca a última atuação de Chadwick Boseman, que morreu em agosto de 2020, o que também lhe rendeu uma indicação póstuma à categoria de “Melhor ator”.

O longa dirigido por George C. Wolfe e estrelado pela aclamada atriz Viola Davis narra como na Chicago de 1927 uma sessão de gravação do álbum de Ma Rainey se transforma em tensão entre seu ambicioso trompista Levee e um gerente branco, que está determinado a controlar a incontrolável “Mãe do Blues”.

Disponível na Netflix.

 

3) Soul:

Soul é a animação mais recente da Pixar e foi premiada com o prêmio de melhor filme na categoria. O filme é o primeiro da produtora a ser protagonizado por um personagem negro, Joe Gardner, um professor de música que sonha em se tornar um pianista de jazz.

O longa foi produzido pela Walt Disney Pictures e Pixar Animation Studios, e também foi agraciado com o prêmio de “Melhor trilha sonora original”. Soul foi dirigido por Peter Docter, que recebeu sua terceira estatueta da categoria de “Melhor animação”.

Disponível na Disney +.

4) Druk:

O longa dinamarquês vencedor de “Melhor filme estrangeiro”, dirigido por Thomas Vinterberg, fala diretamente sobre a influência do álcool no corpo e na sociedade, aprofundando o debate de como a droga é utilizada como escapismo e desencadeia dependência química e emocional.

O diretor utilizou seu discurso para homenagear sua filha Ida, de 19 anos, que morreu dias antes de começar as filmagens em um acidente de carro.

Disponível na aluguel no NOW.

5) Two Distant Strangers (Dois estranhos):

 

O filme vencedor da categoria “Melhor Curta-Metragem”, escrito pelo comediante Travon Free e dirigido por Free e Martin Desmond Roe, aborda em 30 minutos a perseguição policial motivada pelo racismo estrutural a jovens negros estadunidenses.

O cartunista Carter James está voltando para casa, depois de dormir com uma garota chamada Perri. No caminho, ele é abordado por um policial que o considera suspeito. Carter tenta provar que não oferece perigo, mas acaba sendo baleado pelo policial. Em vez de morrer, Carter fica preso em um loop temporal e revive a abordagem policial várias vezes.

Disponível na Netflix.

6) Meu Pai:

Com atuação impecavelmente reconhecida pela crítica, Anthony Hopkins conquistou mais um prêmio de “Melhor ator” ao viver um homem portador de Alzheimer.

Dirigido por Florian Zeller, o filme é arquitetado para narrar em primeira pessoa os sintomas e impactos da doença degenerativa sobre Anthony, um homem de 81 anos de idade, que mora sozinho em um apartamento e recusa cuidados profissionais enquanto sofre com confusões mentais e começa a duvidar das intenções de todos, até de si mesmo.

Disponível no Google Play e para aluguel no NOW.

7) Professor Polvo:

Dirigido por Pippa Ehrlich e James Reed, o filme vencedor da categoria de “Melhor documentário” conta como um homem debilitado por uma doença rara, Craig, portador de fadiga adrenal, começou a mergulhar em meio a uma floresta subaquática gelada na África.

Ele passa a filmar suas incursões submarinas, especialmente seus encontros com um polvo que chamou sua atenção. Visitando a toca do animal todos os dias, ele ganhou a confiança do polvo, fazendo uma nova amizade improvável.

Disponível na Netflix.

8) Colette:

Colette foi o vencedor de “Melhor Documentário de Curta-Metragem” e conta como em sua juventude Colette Marin-Catherine lutou contra os nazistas como membro da Resistência Francesa, que lutava contra a ocupação da França Vichy.

A mulher se recusa a visitar a Alemanha, mesmo anos após o fim da Segunda Guerra, mas tudo muda quando ela conhece uma jovem estudante de história, chamada Lucie, que a incentiva a visitar o campo de concentração de Mittelbau-Dora, onde seu irmão morreu na mão dos nazistas.

Disponível gratuitamente no YouTube.