FONACATE-GUEDES-CONFLITO-1024x766

Fonacate denuncia Paulo Guedes à Comissão de Ética Pública da Presidência

Sindilegis é uma das entidades que compõe o Fórum; Ministro da Economia mantém gestão de ativos milionários em contas de paraísos fiscais no exterior

Nesta quarta-feira (6), o Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate), entidade à qual o Sindilegis faz parte, apresentou, à Comissão de Ética Pública da Presidência da República, denúncia contra o ministro da Economia, Paulo Guedes, pela manutenção de uma conta em paraíso fiscal.

O Fórum solicita que sejam apuradas e tomadas as medidas cabíveis para a apuração de violações ao Código de Conduta da Alta Administração Pública, à Lei de Conflito de Interesses, à Lei de Improbidade Administrativa, e aos princípios da moralidade e da impessoalidade.

De acordo com as entidades, é imoral e desonesto que o ministro Paulo Guedes, que outrora se referiu aos servidores como “parasitas”, “mantenha a gestão de ativos milionários em contas de paraísos fiscais no exterior e, ainda, que são valorizados de forma instantânea por variações cambiais diretamente influenciadas por suas decisões como agente público, permitindo-o, assim, lucrar milhões de reais sem qualquer esforço”.

Além disso, o Fonacate reitera que o fato de Guedes manter aberta uma empresa offshore nas Ilhas Virgens Britânicas demonstra notório conflito de interesses, já que o ministro tem acesso a informações privilegiadas e detém poderes de decisão, formulação e influência sobre políticas capazes de afetar valor e cotação de investimentos financeiros.

Explicações à CTASP – Os deputados Kim Kataguiri (DEM-SP) e Paulo Ramos (PDT-RJ) protocolaram requerimento de convocação à Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP), solicitando que Guedes dê explicações sobre sua empresa em paraíso fiscal aos deputados. O pedido foi aprovado pela Comissão e o Ministro deverá ser ouvido em breve.