GD, GE e insalubridade são alguns temas discutidos em reunião com diretora-geral do Senado

foto_ilana_home
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

O vice-presidente do Sindilegis para o Senado Federal, Petrus Elesbão, reuniu-se, na última sexta-feira, 27 de fevereiro, com a nova diretora-geral do Senado, Ilana Trombka, a fim de debater demandas importantes para os servidores da Casa. A reunião contou com a presença de representantes da Associação dos Analistas de Processo Legislativo do Senado Federal – Prolesf, Associação dos Servidores do Prodasen – Ascip e da Associação dos Profissionais de Comunicação Social do Senado – Comsefe.

Um dos temas centrais da reunião foi a urgente necessidade de instalação da Comissão Especial de Insalubridade, prevista no ato nº 18/2014, que será responsável por analisar os procedimentos necessários para o reconhecimento e a comprovação do tempo de atividade insalubre dos servidores da Secretaria Especial de Editoração e Publicações (SEEP).

O vice-presidente do Sindilegis relatou à diretora-geral que a edição do ato foi uma grande vitória para todos os servidores que vinham sendo prejudicados por não terem reconhecido o tempo correspondente a essas atividades. Petrus Elesbão destacou ainda que o Sindilegis vem empenhando esforços para que essa questão seja solucionada, pois diversos servidores já faleceram e outros se aposentaram sem a devida contagem do tempo exercido sob condições especiais. O vice-presidente afirmou ainda que espera que os atuais servidores que aguardam a contagem do tempo não venham vivenciar a mesma situação.

“Precisamos dar uma resposta para esses servidores. O primeiro passo já foi dado, com a edição do ato, agora a nossa postura será de articulação junto à direção da Casa para que a Comissão saia do papel o mais rápido possível e o problema seja solucionado”, frisou Elesbão.

Durante o encontro, o dirigente reforçou que existem outras demandas do interesse dos servidores, como a Gratificação de Especialização (GE) e a Gratificação de Desempenho (GD). Petrus Elesbão enfatizou que são pleitos, ainda em fase de viabilização, mas muito aguardados por toda categoria.

Melhorias no espaço físico e aquisição de novos móveis para Casa também foram debatidos durante o encontro. Petrus Elesbão destacou que alguns setores como, por exemplo, a TV Senado e as Relações Publicas, carecem de urgência. O Sindilegis e a Comsefe alertaram a diretora-geral para a situação de insalubridade a qual os servidores são acometidos, em virtude das más condições de trabalho.

Por fim, o vice-presidente do Sindilegis também argumentou com diretora-geral que houvesse uma mobilização da Casa no sentido de expandir os quadros funcionais do Senado, por meio da realização de concursos públicos. Elesbão frisou que os certames devem ser realizados não apenas para repor as vagas decorrentes de aposentadoria, mas para suprir a necessidade de ampliação dos quadros do Senado, que encolheram em virtude da exigência da sociedade.

Ciente das demandas, a diretora-geral do Senado afirmou que a Casa tem trabalhado em várias frentes para buscar a valorização e o reconhecimento dos servidores. De acordo com Ilana Trombka, têm sido desenvolvidos projetos voltados para gestão de pessoas, com a finalidade de aproximar a direção da Casa do corpo de servidores. A diretora também agradeceu as sugestões apresentadas pelas entidades.

De acordo com o vice-presidente do Sindilegis, o Sindicato quer levar ao conhecimento da direção do Senado, cada vez mais, os pleitos dos servidores. “Essa foi a primeira de muitas reuniões que pretendemos fazer. A ideia é sensibilizar os dirigentes para as necessidades dos servidores, que são reais e precisam de uma atenção especial. Iremos atuar de forma contínua até o atendimento dos pleitos”, ponderou o vice-presidente do Sindilegis.

Shopping Basket