Programa Descarte Legal instala caixas coletoras em Brasília

descarte_legal_home
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Apoiado pelo Sindilegis o projeto espalhou caixas pelo Distrito Federal, a fim de coletar lixo eletrônico para destinar a catadores

Preocupado com o meio ambiente e com o futuro das próximas gerações, o Sindilegis e o Instituto GEA deram início, nesta quinta-feira (30), ao programa Descarte Legal. A inciativa consiste em instalar caixas para coleta de lixo eletrônico (computadores, impressoras, nobreaks, scanners, teclados, notebooks, mouses e celulares). Os resíduos recolhidos serão doados para cooperativas de catadores do Distrito Federal. Ao todo foram disponibilizadas oito caixas em condomínios e lugares de grande circulação, mas a previsão é que mais 12 pontos sejam instalados.

O servidor do Senado Federal Francisco Gardesani é um dos apoiadores do projeto. Segundo ele, a instalação das caixas faz parte de uma iniciativa mais ampla, que contará com pesquisas de campo, a fim de obter informações sobre o descarte do lixo eletrônico.  

“A etapa que estamos vivendo hoje está testando a experiência de coleta dos resíduos eletrônicos. Vamos instalar, no total, 20 caixas coletoras em Brasília, para verificarmos como é feita a doação e o descarte desse material. Com isso, pretendemos adquirir experiência para expandir o projeto numa próxima etapa, que já vamos começar agora, a partir de dezembro”, assegurou Gardesani.

O vice-presidente do Sindilegis para o Senado Federal, Petrus Elesbão, afirma que o Sindicato apoia este tipo de iniciativa por entender que beneficiará não apenas os servidores que representa, mas a sociedade como um todo. De acordo com ele, para o próximo ano, a entidade prevê uma iniciativa ainda maior, que aliará o tema lixo eletrônico à qualidade de vida.

“No próximo ano, esse tema ganhará ainda mais força com uma corrida voltada para o descarte correto do lixo eletrônico. Essa é uma preocupação do Sindilegis e da Assefe, pois sabemos os grandes malefícios que um equipamento eletrônico descartado de forma inadequada gera para o meio ambiente e para nossa saúde”, frisou.

O diretor de aposentados e pensionistas do Sindilegis, Ogib Teixeira, assegura que o projeto Descarte Legal se somará a outros, que também serão apoiados pelo Sindilegis. “Essa é uma iniciativa que o Sindilegis tem perseguido em todas as áreas, não apenas de eletrônico. Entendemos como uma preocupação o descarte dos nossos colegas, tanto em suas casas, quanto na Câmara, no Senado e no Tribunal de Contas da União. É uma parceria que está se iniciando e eu espero que ela progrida e que tenhamos bons frutos”, declarou.

O educador ambiental Walter Akio Goya representa o Instituto GEA e afirma que, além do benefício sustentável, ainda garante uma renda dez vezes maior para os catadores cadastrados em cooperativas que passaram por curso realizado pelo GEA.

“As cooperativas geralmente vendiam esse material como sucata de ferro e ganhavam em torno de R$0,30 o Kg do material. Fazendo a separação das peças, principalmente do computador, esse material é vendido por cerca de R$3 o Kg, então dez vezes mais”, explica Goya.

Condomínios abraçam a causa

A síndica do condomínio Morada de Deus (AMOBB), localizado no Jardim Botânico, aceitou a instalação de duas caixas coletoras dentro do setor habitacional. Segundo ela, a iniciativa vai ao encontro do que é defendido pelos moradores. “No nosso condomínio, todas as atitudes em relação à construção e pavimentação estão voltadas para o meio ambiente. Então esse projeto nos atende, porque foi uma maneira que encontramos de fazer algo politicamente correto”, ressaltou.

Cecília Soares Pinheiros, síndica de um condomínio na Asa Norte, também assegurou que os moradores estão conscientes da necessidade do descarte correto deste tipo de lixo. Ela acredita que o programa Descarte Legal será abraçado pelos condôminos. “Sempre procuramos separar o lixo reciclado do lixo orgânico. É uma preocupação nossa também com o meio ambiente. Não custa nada apoiar. É o mínimo que podemos fazer”, minimizou.

Confira onde estão localizados os pontos de coletas de lixo eletrônico:

Condomínio do Bloco M da SQN 415

SQN 415 – BLOCO M – Asa Norte – Brasília – DF – CEP 70.878-130

Síndica: Sra. Cecília Soares Pinheiro

 

ASSEFE – Associação dos Servidores do Senado Federal

Setor de Clubes Esportivos Sul – Trecho 01 – Lote 07 (próximo à ponte)

Presidente: Sr. Petrus Elesbão Lima da Silva

Contato – Sr. Ademir

Telefone – 3443-8996

 

SINDILEGIS – CAS – SGAS 609/610 – Conjunto C – Módulo 70 – Asa Sul – L2

Representante: Vice-Presidente: Sr. Petrus Elesbão da Silva

Telefone sede administrativa – 3214-7300

Telefones no local de instalação da caixa coletora – 3214-7337 (Ricardo) e 3214-7344 (Marcos)

 

Condomínio AMOBB

Rodovia 01 – Avenida do Sol – Km 7,5 – Jardim Botânico

Representante: Síndica – Sra. Ana Lourdes de Castro Miranda

Contato: Sr. Raul

Telefone da Administração: 3964-8808

Associação AMOBB

Presidente: Sr. Gustavo de Faria Barros

Telefones: 3964-8808

 

Shopping Basket