Servidores do TCU brilham no tênis na VIII Copa Sindilegis/TCU

img-08-10-2016-57f86355a1932
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Com raquetadas precisas e ágeis na terra batida de saibro, 15 servidores-atletas do Tribunal de Contas da União disputaram as partidas de tênis da VIII Copa Sindilegis/TCU, na tarde desta sexta-feira (7), no Citi Tênis, em Foz do Iguaçu/PR. Respeitando os critérios de habilidades, as partidas foram divididas em duas categorias: Tênis 1 e 2, com jogos simultâneos em quatro quadras. De acordo com as regras estabelecidas para o torneio, o jogador que marcasse 9 games era o vencedor, avançando, assim, para a próxima fase, em busca da grande final.

No Tênis 1, disputaram o primeiro jogo os servidores da Secex/PR e da Secex/PE, Luiz Gustavo Andrioli e Maurício Cavalcante, respectivamente, com bolas surpresas próximas à rede, consistência ao fundo da quadra e muitas arrancadas. Andrioli estava vencendo por 6 games a 0, porém Maurício optou por encerrar a partida. Dessa forma, Andrioli saiu como vencedor e avançou para a próxima etapa. Em seguida, dois servidores da Secex/RJ duelaram em quadra: Alexander Emoski Barbosa e Robson Chagas. Em uma partida duríssima, com games muito próximos uns dos outros e uma deslanchada ao final, Alexander acabou vencendo a partida por 9 games a 4. O servidor convidado da Câmara dos Deputados, João Vicente Couto, ganhou por WO e automaticamente avançou para a triangular final.

“Participei da corrida, do futebol e agora no tênis. Infelizmente meu desempenho não foi tão bom como eu gostaria, devido à falta de tempo para treinar. E o tênis exige muitas jogadas repetidas. Em relação ao meu adversário, cheguei a abrir vantagem de 3 a 1, mas ele conseguiu virar. O legal é que sempre buscamos o ideal inalcançável. Agora é treinar mais”, analisou Robson.

Em uma triangular, os jogadores Andrioli, Paulo e Alexander se enfrentaram mais uma vez, em três jogos diferentes. Andrioli enfrentou o servidor da Câmara e saiu vitorioso com o placar de 9 games a 1. “Adorei o convite. Foi uma experiência muito boa, apesar da derrota. Já estou acostumado a jogar tênis, mesmo como amador, para praticar atividade física. O Sindicato está de parabéns por esse campeonato”, observou Paulo. 

O jogo seguinte contou com Paulo e Alexander, com a vitória, ao final, garantida para Paulo, com um game de 9 a 7 – uma partida belíssima, disputada ponto a ponto e decidindo o vencedor nos últimos lances. “Nas edições anteriores, não fui muito bem, perdia na primeira rodada. Já este ano comecei melhor, ganhei do meu colega do Rio e pude perceber minha evolução. Sobre o esporte, sou a favor do tênis estar entre as modalidades da Copa, porque requer concentração, repetição, e compartilhar esse momento com os amigos do Tribunal é muito interessante”, apontou Alexander.

A última disputa ficou para ser decidida entre Luiz Gustavo Andrioli, campeão da modalidade do Tênis 1 em outras Copas, contra Alexander Emoski. Acompanhados pelas torcidas, os jogadores suaram a camisa e deslizaram pela quadra de saibro em busca de fechar os 9 games. Porém, mais uma vez o Paraná levou a melhor e Andrioli foi consagrado campeão do Tênis 1, vencendo por 9 games a 0 e mantendo a tradição do estado em primeiro lugar nesta categoria. “É uma alegria poder participar mais um ano da Copa. Os colegas estavam muito bem preparados e enfrentamos jogos duros e bem técnicos. O tênis é um esporte incrível porque é feito de superação, inteligência e muita garra. Foi um prazer estar aqui novamente”, revelou Andrioli.

Tênis 2

No Tênis 2, algumas figurinhas carimbadas e veteranas de edições anteriores voltaram a se enfrentar em quadra. Simultaneamente, jogaram Eduardo Amorim (Secex/CE) contra Diego Freire (Secex/PE), com Eduardo levando a melhor por 9 a 2; Roberto Ferreira (Secex/CE) e Alexandre Giraux (Secex/MT), com 9 games a 0 para Roberto; Carlos Eduardo Gomes (RJ) contra Francisco Carlos Barros (Secex/PA), resultando em 9 games a 3, com vitória para Carlos Eduardo; Henrique da Fonseca, da Secex/PE, contra Uadson Martins, da Secex/AM, com vitória para Henrique, por 9 a 1; e, finalmente, Joel Martins (Secex/RN) contra Evandro Vianna (Secex/PR), com Joel levando a melhor por 9 a 1.

“É muito importante que o Sindilegis promova essa Copa, para estimular o servidor nas Regionais para praticar algum tipo de esporte. Em relação ao tênis, o torneio foi desenvolvido com muita alegria, organização, espírito de amizade e confraternização. E para mim, o esporte é uma paixão. Treino com frequência, mas sempre quero aprender mais e mais”, afirmou Joel.

Nas quartas-de-finais, se enfrentaram os servidores: Eduardo Amorim contra Francisco Barros (9 a 1 para Eduardo, passando, assim, para a semifinal); Carlos Eduardo contra Uadson (com 9 a 1 para Carlos, garantindo lugar na semifinal também); Joel contra Henrique (com resultado de 9 a 5, dando a Joel a disputa pela semifinal); e Roberto contra Diego (o game terminou em 9 a 7, dando a vitória a Roberto).

Para Henrique Carvalho, da Secex/PE, a Copa Sindilegis vai além da competição esportiva: “Independentemente dos resultados, a gente sempre se confraterniza, revê os amigos, brinca, compete… Acho isso muito legal! Eu joguei em outras modalidades, mas o tênis é um esporte individual, então o mérito é todo seu”.

Semifinais e final

Após os resultados, a semifinal ficou entre quatro servidores: Eduardo e Roberto, e Carlos Eduardo e Joel. Apesar do cansaço das partidas anteriores, os jogadores fizeram bonito e disputaram ponto a ponto com garra e emoção. Ao final, Eduardo venceu Roberto por 9 games a 2 e Carlos garantiu a vaga na final, com 9 games contra 8 de Joel, em uma partida longa e muito apertada.

O terceiro lugar, disputado simultaneamente com a final, coube a Roberto Ferreira e Joel Martins, colegas de longa data e que realizaram uma partida emocionante, sem deixarem se abater pelo desgaste das partidas do dia. O jogo começou bastante equilibrado, mas o cearense Roberto, ao finalzinho, assumiu a ponta e garantiu a vitória por 9 games a 7. “A Copa Sindilegis é um dos maiores trunfos que o nosso Sindicato tem. Em que outro momento poderíamos ter a chance de participarmos de eventos como esse? Aqui, podemos confraternizar, jogar com os colegas, rirmos e nos divertimos, sem deixar o espírito esportivo de lado”, analisou Roberto, que conquistou o terceiro lugar.

Já a grande final foi entre os veteranos Eduardo Amorim e Carlos Eduardo Campos Gomes. Velhos conhecidos, o equilíbrio entre os jogadores também imperou durante boa parte do jogo. Depois, Carlos Eduardo abriu vantagem, apostando nas jogadas com efeitos e bolas curtas. Não deu outra: vitória para o carioca que, atualmente, está lotado no Distrito Federal. Por 9 games a 0, Cadu, como é conhecido, levou a medalha de ouro do torneio de tênis 2 da Copa.

“Ano passado ficou uma certa frustração por não ter conquistado o primeiro lugar, mas este ano fui paciente e muito técnico. Com o Joel [Martins], fiz um jogo duríssimo, disputado ponto a ponto mesmo, tentando atacar para não receber no contra-ataque. Já com o Eduardo [Amorim], a partida foi intensa e também muito equilibrada. Mas é muito bom estar participando mais uma vez desse evento, que é tão importante para os servidores das Regionais”, apontou Carlos Eduardo.

Eduardo Amorim, segundo colocado, afirmou que a Copa Sindilegis é muito mais do que um evento esportivo. “Participei do futebol e do tênis e estou muito feliz em ver o Ceará levando medalhas para casa. Hoje fizemos mais de 3 jogos totalizando quase 4 horas na quadra, e o mais importante é termos esse momento descontraído e saudável entre nós, servidores. Porque a Copa é uma questão de saúde, de bem-estar e deve ser sempre incentivada”, finalizou.

Shopping Basket