Sindilegis solicita dispensa de ponto para servidores da Câmara em decorrência da votação do impeachment

img-14-04-2016-57101f0779b8f
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Tendo em vista a interdição das principais vias de acesso ao Congresso Nacional em decorrência do processo de votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff, o Sindilegis protocolou, nesta quinta-feira (14), junto à Presidência e Primeira Secretaria da Câmara dos Deputados, ofícios requerendo a dispensa de ponto dos servidores da Casa na sexta-feira (15). A exceção, no entanto, ocorre para os servidores que estão diretamente ligados às atividades legislativas e de apoio parlamentar.

“Tal pedido se dá objetivando a segurança pessoal de cada um diante das possíveis manifestações em torno do Congresso Nacional em decorrência do processo de votação do ‘impeachment’, bem como a dificuldade de trânsito de veículos e estacionamento próximos”, diz o documento assinado pelo presidente do Sindilegis, Nilton Paixão, e o vice-presidente do Sindicato para a Câmara dos Deputados, Paulo Cezar Alves (Paulinho).

Conforme anunciado anteriormente pela Secretaria de Estado da Segurança Pública e a Polícia Militar do Distrito Federal, o trânsito será bloqueado a partir da Rodoviária do Plano Piloto durante os dias 15, 16 e 17 de abril. Em nota enviada por e-mail pela Diretoria-Geral da Câmara aos servidores da Casa, a instituição comunica que o acesso se dará, exclusivamente, pelo Anexo IV e pela portaria do Anexo III e reconhece que as únicas vias livres (S-2 e N-2) poderão ser interditadas a qualquer momento.

A maioria dos estacionamentos também estará fechada, como os do Anexo I e II, do STF e do Cedi, ou restritos a servidores credenciados, como os estacionamentos do Complexo Avançado (Cefor) e do próprio Anexo IV. O único disponível é o da PGR, cuja liberação de acesso dependerá das autoridades de trânsito (DETRAN-DF).

 

 

Shopping Basket