União contra Reforma avança e comissões de trabalho intensificam atuação

img-19-01-2017-588130b8bcef7
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Com um discurso cada vez mais consensual e a inserção de novas entidades no movimento suprapartidário e suprassindical contra a Reforma da Previdência, os dirigentes nomearam, na tarde desta quinta-feira (19), em reunião na Câmara dos Deputados, os representantes para cada uma das comissões responsáveis pelo andamento dos trabalhos. Ao todo serão cinco grupos de coordenação nas áreas de gestão central, comunicação, mobilização, técnica/jurídica e parlamentar.

A CUT – Central Única dos Trabalhadores foi uma das entidades que marcaram presença no encontro desta quinta-feira, somando-se à Pública-Central do Servidor nesta campanha. O consenso entre dezenas de instituições representativas presentes foi da necessidade de unir esforços em torno da mobilização, a fim de garantir o fortalecimento do movimento e a coesão das ideias. O objetivo é que o movimento se torne uma luta de toda a sociedade.

“Queremos apresentar a contrainformação de forma isenta. Essa ideia foi muito bem aceita por todo o movimento”, declarou Ogib Teixeira, diretor da Pública-Central do Servidor e do Sindilegis, que conduziu os trabalhos da reunião desta quinta.

O encontro também foi palco para sugestões da identidade visual do movimento. O vice-presidente do Sindilegis, Eduardo Dodd, expôs banners, cartazes, peças publicitárias e spots de rádio. O material de divulgação foi bem aceito pelos presentes e será submetido agora à apreciação da Comissão de Comunicação do movimento.

“Tivemos a preocupação de mostrar nas peças que nós temos a consciência da crise que o país atravessa, mas pensamos que outras ações podem ser feitas antes que seja ferido o nosso direito de se aposentar”, ressaltou Dodd.

A Deputada Erika Kokay (PT/DF) também participou da reunião e apontou que as entidades precisam fazer um manifesto para colher apoio da sociedade e de outras organizações. Na visão da parlamentar, o documento com as assinaturas dará concretude ao movimento.

“É importante que esse movimento esteja se consolidando e se realinhando é que, a cada dia, a mobilização cresça com mais entidades participando”, apontou Kokay.

As instituições ainda preveem criar um calendário unificado, uma vez que já existem ações isoladas sendo realizadas por cada categoria. O objetivo é permitir que, em todas essas as ações, o movimento contra Reforma esteja presente. Na próxima quarta-feira (25) haverá novo encontro entre os participantes para alinhamento de ideias.

Dentre as entidades presentes, estavam: Sindilegis, Pública – Central do Servidor, CUT – Central Única dos Trabalhadores, Fonacate, Anfip, OAB/DF, OAB Nacional, Cobap, Fenafirc, Sinpaf, Sinal, Fenajufe, CNTC, Fenafim, Febrafite, Ascade, Cobrapol, Sindfaz-DF, Febrafisco, Inesc, Asfol-SN, Fasubra, APCN, Sinpec/Df, FenaPRF, Sinasempu, Atens, Auditar, Anafe, Mosap, Unacon, MPT, Condsef, Fenapef, Sinad/DF, UNA-Se, OPB, Fenaspen, ANFFA Sindical, Andes-SN, Asfoc-SN.

Shopping Basket