reunia_reforma administrativa_2

Câmara garante que reforma administrativa não irá mexer em direitos adquiridos de servidores

Em reunião com presença em massa da categoria, Diretor-Geral afirmou que proposta é uma “preparação para o futuro” e que o diálogo com o Sindilegis será mantido até o fim

No dia 16 de agosto, servidores da Câmara dos Deputados lotaram o auditório Nereu Ramos para saber mais informações sobre a reforma administrativa que irá acontecer na Casa, em reunião conduzida pelo Diretor-Geral da Câmara, Sérgio Sampaio.

Segundo ele, a reforma administrativa não vai retirar direitos adquiridos dos servidores atuais e que a Casa está se preparando para o futuro, para receber novos servidores. Sampaio ainda pediu para que os servidores se reinventassem. “Onde podemos melhorar para sermos mais eficientes e darmos uma resposta ainda melhor à sociedade? Precisamos refletir. Com base nisso, iremos discutir a estrutura para fazer essas entregas que esperam de nós”, pontuou Sampaio.

O Diretor-Geral esclareceu que o Sindilegis tem atuado ativamente nesse processo e vai continuar participando de encontros periódicos para a construção da proposta. A ideia é que a relação entre o Sindicato e a Direção-Geral seja permeável e aberta. “Nossa atuação tem sido no sentido de garantir que os direitos dos servidores sejam respeitados e que as categorias sejam fortalecidas”, pontuou Paulo Cezar Alves, vice-presidente do Sindicato.

Sérgio Sampaio também esclareceu que o que foi debatido até o momento ainda não foi apresentado aos servidores porque sequer foi apreciado pelo Presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Segundo ele, assim que Maia tomar conhecimento, as propostas serão também apresentadas aos servidores.

De acordo com Sampaio, a previsão é que a reforma administrativa seja finalizada até o final do ano, para ser implementada a partir de 2020.

O Sindilegis manterá todos os servidores informados pelo site e também pelo WhatsApp. Envie “Olá” para o número (61) 99932-9245, que adicionaremos seu número na lista de transmissão do Sindicato.

Deixe seu comentário