Jairo Brod

“Sem empatia é impossível ser um bom servidor público”; conheça a história de Jairo Brod

Servidor da Câmara dos Deputados é reconhecido pelo seu trabalho ambiental e pela paixão por ajudar o próximo

Quando questionada sobre algum nome que poderia falar um pouco sobre o servidor Jairo Luis Brod, sua esposa Maria Lúcia foi enfática: “Não vai ser difícil encontrar alguém. Todo mundo na Câmara adora o Jairo”. E, assim, imbuído de carisma e empatia que o analista legislativo nascido em Toledo, no Paraná, é conhecido pelos corredores da Casa.

A data 1978 foi o momento em que a história de Jairo se cruzou com Brasília. Inicialmente, ele veio para a capital federal para servir no Exército. Logo depois, ingressou via concurso no Banco do Brasil, onde trabalhou 15 anos. Depois, passou dez meses na iniciativa privada. “Mas eu via que minha vocação era ser servidor público”, conta, orgulhoso.

Finalmente, em 2004, prestou concurso para analista legislativo da Câmara dos Deputados. “Foi quando percebi que, além das possibilidades de ter um ganho financeiro que jamais pensei em ter na minha vida, poderia desenvolver plenamente essa marca em meu DNA, que é prestar serviços”.

Na Câmara, além de desenvolver suas tarefas – o de redigir discursos parlamentares, notas para jornais etc. –, também poderia desenvolver atividades socioambientais. Educador ambiental nas horas vagas, Jairo é engajado em projetos de sustentabilidade, distribui mudas e as planta pelo Distrito Federal. Atualmente possui um terraço com milhares de mudas de 4 tipos de Ipês e de flamboyants. “Eu distribuí 2.700 mudas dentro da Câmara. Fazia questão de entregar pessoalmente”, relembra.

Por acreditar tanto no poder da educação, Jairo – que é filiado ao Sindilegis – partiu para os projetos com a comunidade. O desejo de viver numa cidade mais arborizada e de dar noções de ecologia para crianças o levou a cultivar e distribuir mudas de árvores. Ao todo, já foram mais de 3 mil mudas doadas. O cultivo é feito com a ajuda das crianças. “Junto à meninada, preparamos os saquinhos, semeamos e, como tenho de trabalhar, eles regam e cuidam para que ninguém depreende. Trabalham com tanto carinho que chegam a batizar cada planta que nasce”, conta Jairo.

Empatia é a palavra-chave para ser um bom servidor público, segundo Jairo: “Ele tem que se doar, ser gentil, ser atencioso, tem que chamar as pessoas pelo nome, tem que ser humilde. Tem que ir além daquilo que se pede para você ser um bom profissional na área pública. Eu acredito nos servidores que vestem a camisa. Assim como têm sacerdotes que têm vocação, como têm militares, advogados e jornalistas, eu acho que têm pessoas vocacionadas para o serviço público, que fazem a diferença”.

Conheça melhor a história de Jairo, um dos homenageados do Gente que Inspira 2020, clicando aqui.

1