IMG_0042

Sindilegis e Liga do Bem garantem um natal mais feliz para famílias carentes

Sindicato doou mais de cem cestas básicas para famílias carentes das cidades de Ceilândia e Brazlândia

O Sindilegis, além da atuação precípua em defesa do servidor público da Câmara dos Deputados, do Senado Federal e do TCU, também se dedica a ajudar aqueles que vivem em situação de vulnerabilidade. Para isso, realiza ações sociais rotineiras afim de garantir que os mais necessitados tenham uma vida mais digna. Foi isso que fez na última semana, ao visitar a Zona Rural Boa Esperança, na Ceilândia, e a cidade de Brazlândia para doar alimentos e brinquedos às famílias carentes dessas regiões.

O Sindicato esteve na quinta-feira (17) no Centro de Ensino Boa Esperança, na Zona Rural da Ceilândia, e, ao lado da Liga do Bem, grupo de voluntariado do Senado Federal, doou cem cestas básicas para as famílias dos alunos e brinquedos para as crianças, garantindo que todos tenham um natal verdadeiramente feliz. As cestas doadas foram resultado de ação realizada durante o evento “Gente que Inspira”, realizado pelo Sindilegis para homenagear servidores das Casas que representa.

Jordânio Lucio de Castro, Diretor do Centro de Ensino, garante que as doações são fundamentais, pois as famílias são bastante carentes e dependem da ajuda do próximo. “A comunidade é muito carente e, muitas famílias, dependem da solidariedade para seguirem de forma mais digna. Essas doações, sobretudo nesse momento, são fundamentais. Agradeço muito por olharem para os mais necessitados e virem até aqui com as doações promoverem esse ato de bondade”, agradeceu.

O Sindilegis também esteve na cidade de Brazlândia para doar cestas básicas e brinquedos às famílias da Cooperativa Acobraz (Associação dos Catadores e Recicladores de Resíduos Sólidos de Brazlândia). De casa em casa, com a companhia incansável dos voluntariados da Liga do Bem, pode-se ver o sorriso estampado nos rostos de pais, mães, avós, filhos e netos de 35 famílias, que terão um natal com alimento na mesa e menos angústia no coração.

Catadora e auxiliar administrativo da Acobraz, Ivanilde Soares Maia era quem guiava as equipes do Sindilegis e da Liga do Bem pelas ruas da região e levava até as famílias que receberiam as doações. Com um sorriso tímido, mas agradecido, contou ser mãe de sete filhos e que, em um ano difícil, muitos dos catadores somente sobrevivem com a ajuda do próximo. “A nossa realidade já é bastante difícil, mas, neste ano, ficamos um bom tempo sem poder trabalhar, com a associação fechada, e tudo ficou ainda mais difícil. Mas, temos que agradecer por existirem pessoas boas, que olham para a necessidade do próximo. É uma benção saber que podemos contar com vocês e com outras pessoas que se preocupam com a gente”, disse.

“Voltar o nosso olhar para os mais vulneráveis, para os que vivem em situação de extrema privação, também faz parte da nossa essência. O Sindilegis jamais vai se furtar de ajudar aqueles que mais necessitam. Iremos sempre fazer a nossa parte, o que estiver ao nosso alcance, para garantir uma vida mais digna aos mais carentes”, garantiu Petrus Elesbão, presidente do Sindilegis.

 

Sindilegis também se une ao Comitê de Cidadania da Câmara para ato de solidariedade

Na última quinta-feira (17), o Comitê de Cidadania da Câmara dos Deputados se juntou ao Sindilegis e à ASA-CD (Associação de Aposentados da Câmara) para a entrega de 50 cestas básicas, que serão doadas à Associação de Amparo a Portadores de Necessidade Especiais (AAPNE). Localizada na Ceilândia, a Associação desenvolve trabalho social comandado por Maria Abadia para auxiliar pessoas carentes e com deficiências.

O vice-presidente do Sindilegis Paulo Cezar Alves e as servidoras Carolina Milhomem e Jucilene Balduíno, atual presidente e tesoureira do Comitê de Cidadania, respectivamente, fizeram a entrega simbólica das cestas à equipe da AAPNE. Para Maria Abadia, iniciativas como essa são o que sustentam a continuidade da Associação. “Já precisávamos muito, esse ano nem se fala. Não tem emprego, não tem esperança enquanto não criarem a vacina para a Covid-19. Temos essa parceria há muito tempo com a Câmara, e agora com o Sindilegis, e se não fosse esse apoio tínhamos fechado as portas. A cada um que nos ajudou nosso muito obrigada”, declarou.

O Comitê de Cidadania existe há 27 anos e apoia, atualmente, 30 instituições carentes. Mesmo com as consequências devastadoras causadas pela pandemia, Carolina explica que o Comitê conseguiu manter as doações mensais – que equivalem a até 2 salários mínimos – que são destinadas para essas associações, uma ajuda mensal que só é possível graças à doação de servidores. “O desconto é feito em folha e possibilita que, todo mês, esses grupos tenham certeza de que o dinheiro vai entrar. Atualmente, são 800 servidores apoiando, mas temos muitas aposentadorias ocorrendo e algumas pessoas optando por não auxiliarem mais”, explica. Ela aproveita para pedir que os servidores conheçam melhor o trabalho realizado pelo Comitê: “Nesse momento, mais do que nunca, a solidariedade salva vidas. Só conseguiremos manter essas instituições se as doações continuarem acontecendo”.

O vice-presidente do Sindilegis Paulo Cezar conclamou os colegas a se unirem nesse propósito: “Fizemos um trabalho de levar água para municípios do Piauí que não tinham o básico. Esse projeto mudou a forma que enxergo a importância de bens que podem parecer tão banais para alguns, como água potável. E os servidores precisam continuar dando este apoio tão bem-vindo para que iniciativas como essas, em parceria com o Sindilegis, continuem ocorrendo”.

0