Taquígrafos da Câmara e do Senado ganham bolo gigante taquigrafado do Sindilegis

img-05-05-2016-572b86a7457ed
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

O Dia do Parlamento e do Taquígrafo foi comemorado nesta terça-feira (3) na Câmara dos Deputados e no Senado Federal, com direito a bolo gigante “taquigrafado” e docinhos gourmet oferecidos pelo Sindilegis. Também foram sorteados três pares de ingressos para o show Samba da Maria Rita no NET Live Brasília, na sexta-feira (6), pelo Legis Club Brasil.

 

 

Senado Federal

 

 

A festa no Senado contou com a presença do Senador Cristovam Buarque (PPS-DF); da Diretora-Geral da Casa, Ilana Trombka; do Secretário-Geral da Mesa, Luiz Fernando Bandeira de Mello Filho; da diretora da Secretaria de Registro e Redação Parlamentar, Quésia de Farias Cunha; do vice-presidente do Sindilegis para o Senado, Petrus Elesbão; além do diretor jurídico do Legis Club Brasil, José Machado de Freitas (Machadinho).

“É motivo de muita alegria para nós, do Sindilegis, estarmos aqui hoje comemorando o grande dia dessa profissão e, especialmente, desses servidores tão importantes, que muitas vezes passam despercebidos pela própria discrição que o trabalho exige”, ressaltou Petrus Elesbão.

Cristovam Buarque (PPS-DF) dedicou aos taquígrafos o livro de sua autoria intitulado Dias de Maio em 1888, que retrata os bastidores da aprovação da Lei Áurea no Parlamento brasileiro há 127 anos. “Esta obra só foi possível graças às notas taquigráficas já daquela época”, lembrou o Senador.

No dia 3 de maio, inclusive, se comemora o dia desses profissionais porque, há 177 anos, instituiu-se oficialmente a taquigrafia parlamentar com a Assembleia Geral Constituinte – primeira carreira no parlamento para a qual houve concurso público.

Para Ilana Trombka, a taquigrafia é a prova de que os seres humanos são insubstituíveis, mesmo com o advento de novas tecnologias, que apesar de contribuírem com o trabalho, não possuem as habilidades linguísticas específicas desses profissionais. “O Senado sem o seu grupo de servidores é um conjunto de paredes como qualquer órgão público”, disse a Diretora-Geral.

“Os taquígrafos são a história viva do Senado. Estejam certos de que vocês contam com vários aliados que reconhecem o seu valor e estão sempre a escuta para tentar melhorar o processo de trabalho de vocês e fazer com que esse ambiente seja cada vez melhor”, complementou o Secretário-Geral da Mesa Luiz Fernando Bandeira de Mello.

 

 

Diretora da Secretaria, Quésia ressaltou a capacidade de adaptação da equipe, que tem se desdobrado para cobrir as atividades da Casa no momento conturbado que o País se encontra: “Temos que nos adaptar dia a dia ao que acontece nas Comissões, às vezes até com eventos simultâneos, para que a população e as pessoas do mundo todo tenham acesso rápido a tudo que é discutido no Senado”.

“A figura do taquígrafo é muito importante, a gente faz parte do processo legislativo. No futuro, se nossos filhos quiserem saber com segurança o que foi dito por um senador hoje, farão isso por meio das notas taquigráficas”, disse a filiada Patrícia Rolo de Souza Duarte, chefe de Serviço de Revisão e Registro. A taquígrafa, graduada em Direito e Letras e pós-graduada em Linguística e análise do discurso, contou que foi a primeira homenagem que a categoria recebeu desde que entrou na Casa há 18 anos: “Eu acho maravilhoso porque marca o nosso dia e a importância do taquígrafo na história do Brasil”.

 

 

Câmara dos Deputados

 

 

Na Câmara, também participaram das comemorações o Diretor Legislativo da Casa, Afrísio de Souza Vieira Lima Filho; a Diretora do Departamento de Taquigrafia, Revisão e Redação, Daisy Leão Coelho Berquó; os vice-presidentes do Sindilegis para a Câmara e para o TCU, Paulo Cezar Alves (Paulinho) e Eduardo Dodd Gueiros, respectivamente; e o diretor de Benefícios, Serviços, Produtos e Vantagens do Sindicato, Helder Pinto Azevedo.

“Quero deixar registrado novamente os meus parabéns e a minha admiração pelo trabalho maravilhoso que cada um de vocês executa diariamente em prol da Câmara dos Deputados e do País. A história do Congresso é contada pelas mãos de vocês”, afirmou Paulinho.

Para a Diretora Daisy Berquó, “os taquígrafos prestam um trabalho, de fato, silencioso, mas extremamente relevante de apoio à atividade parlamentar”. Ela conta que apenas durante a análise da abertura do processo de impeachment da Presidente Dilma Rousseff, foram mais de 100 horas taquigrafadas entre sessões da Comissão Especial e votação no Plenário.

A filiada Eliana Dias Ramagem trabalha há 20 anos como taquígrafa na Câmara. Apaixonada pela profissão, seu sonho sempre foi trabalhar numa casa legislativa. Para ela, a homenagem “mostra um olhar da Casa e do Sindicato para um profissional que está sempre presente, embora de maneira bastante discreta, nos grandes momentos do País”.

 

 

Reivindicações

Petrus e Paulinho aproveitaram a ocasião para reafirmar o compromisso do Sindilegis com as reinvindicações dos taquígrafos da Câmara e do Senado.

“Continuaremos trabalhando para que o teletrabalho seja implementado na Taquigrafia, como medida inteligente e estratégica que é, e para que seja realizado um novo concurso para suprir as diversas baixas que o setor tem sofrido ao longo dos últimos anos em ambas as Casas”, ressaltou Petrus.

Paulinho destacou ainda a luta pela autonomia na gestão do ponto eletrônico para o Departamento de Taquigrafia, Revisão e Redação da Câmara, já conquistada pela Secretaria de Registro e Redação Parlamentar do Senado, bem como a importância de novos concursos para o cargo de taquígrafo.

“Já somam 15 vagas abertas e, só neste ano, cerca de 20 aposentadorias estão previstas, segundo nos informou a Diretora Daisy Leão”, disse o vice-presidente.

 

Clique aqui para ver o álbum completo no facebook da Homenagem ao Dia do Taquígrafo no Congresso Nacional.

Shopping Basket